“pipi não!” “popó não!”

Daniela

A L. tem feito o caminho para a fala no seu ritmo. Sempre foi uma criança muito expressiva. Depressa aprendeu alguns gestos, a apontar, a fazer caretas para diferentes situações, … e desenrascada como só ela, muitas vezes nem perdia tempo a fazer-se entender… procurava logo o que queria e pronto!

Nas tentativas de conversa com a irmã ou nas discussões pelos brinquedos quase sempre lutava pelo que queria!

Sempre foi uma menina observadora! Gosta da interação com o outro e envolve-se nas atividades de forma ativa. Ainda que as palavras só começassem a surgir mais tarde.

Agora, com 24 meses, já constrói frases de 2, 3 ou 4 elementos, como “bebé mana tá umi, xiuuu!” (traduzindo, o bebé da mana está a dormir, xiuuu!), faz comentários, como “tá xujo” ou “Nônô caíu”, acompanhados de expressões faciais que completam o que quer dizer. É deliciosa esta fase. Todos os dias aprende e diz palavras novas. Às vezes até ficamos surpresos porque não temos a certeza se ela queria dizer mesmo aquilo, nem percebemos que já sabia dizer determinada palavra.

Uma das coisas que sempre a cativou, e que ajudou bastante este desenvolvimento, foi uma espécie de jogo das imitações. Quando era mais pequenina eu imitava as expressões faciais dela e ela ria-se e tentava imitar-me. E mantinha-se nesta brincadeira de caretas um bom bocado. Com o tempo comecei a acrescentar à brincadeira sons. Sons de animais. Mais tarde sílabas, que ela tentava imitar na vez dela. “pá pá”, “ti ti”, “mu mu”, … e sempre fizemos isso com alguma melodia associada. Faço eu, faz ela, faço eu, faz ela, …

Agora, como gosta de brincar, já é ela que começa a brincadeira e, quando lhe digo as sequências de sílabas, completa tudo com não. “pipi, não!” “pópó, não!” e ri-se 🙂

Adoro, é uma delícia esta criança!

Daniela

Siga-nos no Instagram @piratinhadossons

foto: bethsantosfotografia.com