partilhar ou não partilhar, eis a questão!

Daniela

Muito se fala sobre isto por aí! Fica a minha opinião sobre o assunto…

Estamos sempre a ouvir alguém a dizer aos miúdos que têm de partilhar. Se acho importante? Muito. Mas não têm de partilhar tudo. Há brinquedos que são só de uma ou de outra ou de quem os escolheu primeiro. Depois se emprestam ou não é com elas, com saber pedir, convencer ou esperar. Há dias que há grandes lutas nesta casa. Faz parte. Agora, se têm de partilhar um brinquedo quando estão envolvidas numa brincadeira, a imaginar uma coisa qualquer, honestamente não, nem é justo!

Não sei muito bem por que toda a gente acha que as crianças têm de partilhar tudo, os seus pequenos tesouros e são julgados muitas vezes por isso, se nós como adultos não o fazemos. Ora, imaginemos que um de nós vai a um espaço público, como a uma esplanada ou um café, e pede um gelado, um sumo ou algo para comer. Pega no telemóvel para espreitar o facebook. E entretanto chega um estranho que decide interromper o nosso momento de sossego e pede para usar o nosso telemóvel e comer um bocado da nossa comida. Como reagiriam? Com incómodo, no mínimo!

Quantas vezes em parques, festas ou até reuniões familiares os miúdos não são acusados de não saberem partilhar?!

É justo? Será assim a melhor forma de ensinar a generosidade?

Na minha opinião, a partilha deve ser uma atitude familiar e uma escolha. Do dia-a-dia. Podemos mostrar que existe essa opção e que o resultado da partilha até pode ser proveitoso.

A título de exemplo, aqui há tempos tínhamos cá em casa muitos mirtilos deliciosos. E juntas decidimos partilhar com algumas pessoas. Claro que também foram alguns para os amiguinhos da escola das meninas

A Matilde já entende mais este conceito. E ela é assim. Sempre que gosta de algo quer mostrar ou levar para a escola para “o meu amigos”!!

Acredito que o caminho será mais ou menos por aqui!

20170729_174534-469122725-1505666515965.jpg

Daniela

Siga-nos no Instagram @piratinhadossons